Saturday, November 11, 2006

Watashi no Takaramono

"Takaramono" em japonês significa tesouro. Coisas valiosas. Claro que pra mim e muita gente que conheço, tesouro pessoal não precisa ser necessariamente ouro e pedras preciosas (ah, mas se caísse um baú cheio disso, ficaria eternamente agradecida...), mas as coisas que você não se desfaz nem que estivesse passando fome.
Todo mundo tem o seu bem precioso, assim como eu também tenho ( kinguio não conta, esse não tem preço!), então lá vai uma amostra, do que ganhei e do que comprei. E olha que deu um baita dum trabalho pra encontrar...

Bonecos dos Beatles: Se eu conseguisse os três DVDs da série animada dos anos 60 "The Beatles Cartoons", ficaria eternamente agradecida... Quando vi no fórum dos Beatles que a McFarlane Toys estava lançando esses bonecos, fui correndo no Gúgol japonês para saber onde estavam vendendo. Encontrei os quatro vendendo em separado em uma loja longe de Yokohama, uma cidade chamada Atsugi e paguei sei lá quanto por eles. Montando, ficam em um palco. O porém é que não sei se foi defeito de fabricação ou não encaixa mesmo, o chimbau da bateria não encaixou.
Depois de algum tempo, descobri que a "Get Back", a loja oficial do quarteto aqui no Japão, vendia os quatro numa caixa e de brinde o jacaré! E a tal loja fica bem no meio do caminho casa-trabalho...

Os quatro estão dispostos na minha mesa, dividindo o espaço com meus perfumes, cremes e meu despertador...

...chamado Norakuro: Lembro de ter visto este despertador de um gato (ou cachorro, segundo outros) preto na casa de uma prima minha no Brasil, quando ela voltou depois de um ano aqui. Ao despertar, toca uma cornetinha e a voz estridente do bicho "Ohayo! Boku wa Norakuro! ...nandayo? Okiruuuuuuuuuu!" E toca de novo a corneta até você desligar o botão que fica acima da cabeça do bicho.
Eis que cismei com esse despertador mesmo depois de ter mudado para Kanagawa. Marido kinguio também tinha, mas ficou na casa dos pais dele (e recentemente meu querido sobrinho fez ele em pedacinhos. O despertador, não o marido, claro!). Antes do Norakuro (o nome do bicho), veio o Snoopy, meu personagem favorito. Marido comprou numa ida a uma loja de departamentos, achou lindo e trouxe de presente pra mim. Possui quatro músicas diferentes, entre eles a música "Gambarimasho", do grupo SMAP.
Esteve funcionando até alguns meses atrás. Acabaram as pilhas e até hoje esqueço de passar numa loja de eletro-eletrônicos e comprar. As pilhas, claro!
A história do Norakuro vem do tempo que morava em outra cidade e vi em uma relojoaria antiga. Como estava próximo de receber a cebola...ops, salário, disse a mim mesma que no próximo salário iria lá e comprar.
O despertador até hoje acorda kinguio, eu e a vizinhança toda...



Não, os dois não ficam juntos na mesma mesa.

Os CDs que me deram trabalho: Muitas vezes já comentei que sou fã assumida dos quatro de Liverpool e do Masaharu Fukuyama. Mas pouquíssima gente sabe que também gosto dos Carpenters. Pois bem, a grande maioria dos CDs que estão na nossa prateleira, a gente foi comprando a cada vez que íamos em lojas de segunda mão. Ou de primeira mesmo, dependendo da vontade e da disponibilidade (subentenda dinheiro). Só pra citar, mas não coloquei junto na foto, o da ZARD, acabei comprando para dar de presente ao kinguio antes da gente oficializar a união. Mas foi difícil encontrar, pois morávamos em uma cidade que só tinha uma loja de CDs, acreditem!

"The Beatles Live at the BBC!", na verdade eu já possuía no Brasil, mas quando vim para cá, acabei por esquecer de pôr na mala, que por sinal estava abarrotada. A solução foi comprar quando recebesse meu primeiro salário, mas como disse, a primeira cidade onde morei, só tinha uma loja de CD e acabei por comprar quando mudei para Kanagawa. E paguei caro, mas esse veio com o booklet original em inglês e o encarte das letras, que não tinha no meu que ficou no Brasil.
Sem falar que Beatles não precisa dizer mais nada!

"Carpenters From The Top", foi outro que comprei no Brasil (importado, na Planet Music em Sampa, nem sei se ainda tem, na Consolação), mas acabou ficando com meu irmão mais velho. Quando fui dar um passeio na cidade de Osaka, passei na Tower Records de Umeda e não pensei duas vezes quando vi o box-set branco: comprei na hora e desembolsei uma boa grana e ganhei pontos no point-card (que depois foram usados quando marido deu-me dinheiro no meu aniversário e comprei o "Anthology"). Quatro CDs que contém além de músicas conhecidas, muitas inéditas! Mas não vieram as letras, pois era também importado...

"Masaharu Fukuyama Magnum Collection Dear", esse também foi outro CD (duplo) que me deu trabalho de encontrar! Já contei a história aqui, e até hoje o responsável pela idéia e influência me tira uma da minha cara...



Tem mais, mas se colocar tudo, haja espaço!

Relógio Baby-G da Casio: e de quebra meu anel de duas luas e dois corações. O anel carrego comigo desde que descolava alguns trocados dando aulas. Não lembro se comprei ou ganhei, acho que comprei, senão nem estaria usando, pois se tivesse ganho de algum fã indesejado né... O anel já está meio torto e preciso mandar arrumar, pois quebrei uma tira que sustentava, mas como tem outra, está firme.
O relógio comprei numa liquidação de uma loja de departamentos que estava fechando, uns seis anos atrás. O fundo é rosa, e os ponteiros brilham no escuro, mas nada que chame a atenção. Apesar de ele ser pesadinho e estar deveras folgado no pulso, esse relógio me acompanha todo dia. Só ficou um mês guardado quando viajei de férias.



(Ahn... sim, eu estava vestindo o pijama da Hello Kitty ao tirar esta foto...)

Aya e Umekishi: Um casal de cachorrinhos de pelúcia que faz parte da nosso zoológico de pelúcia. Dentre ursos, guaximins, lontras, esse casal faz parte de nossas vidas: Umekishi (o marronzinho cinza, como queiram) comprei para o marido, que logo pôs dentro do carro (quem ver de perto, o bumbum está meio achatado, pois ficava entre o painel e o vidro da frente). Quando ele me deu a Aya (branco de lacinho na orelha), pusemos os dois no painel traseiro, mas como fiquei com pena de pegar muita poeira, acabamos por deixar em casa mesmo.



The sweet couple, o amor é lindo, não?

"The Beatles in Japan 1966": Ao lado do "Anthology", esse merece lugar na estante quando conseguir comprar ou ganhar uma (na atual situação, está mais fácil a primeira opção). Esse livro, quando vi o cartaz na livraria em Ikebukuro, fui correndo fazer a minha reserva na Get Back. Quando chegou, foi um peso danado pra trazer, mas valeu muito, muito a pena. Além das fotos pra lá de inéditas, é numerado e de brinde uma foto original de Robert Whitaker dentro de um envelope!
Não é a toa que o livro está guardado em um estojo próprio, e ainda envolto em uma cobertura de papelão para preservar essa raridade!



Isso é uma pequenina amostra, se fazer uma lista de tudo vai até amanhã e olhe lá...

2 comments:

  1. Nossa!Isso que é ser fã dos Beatles...rs.Falando em Takaramono, tenho coisas das quais eu gosto mas me desfaria de tudo, mais os sentimentos e lembranças ficam...

    ReplyDelete
  2. Ah um dia vc chega lá e vai dormir como eu e talvez chegue aos pés do Garfield,acho meio impossível mas vá lá!!!kkk Como só achei esse espaço aki pra te dizer isso então tá dito!!!bjos Lili.

    ReplyDelete