Thursday, July 01, 2010

Tem Uma Floresta no Apartamento

Ou: Meus vizinhos são O terror - Parte 3 e espero parar por aqui!


Pra quem riu das situações constrangedoras na primeira parte, e quem se revoltou na segunda, esta agora, vai ter muito ecologicamente correto que vai querer me botar num processador e me transformar em adubo orgânico, mas só vendo as fotos pra tentar entender o drama que eu vou contar. Depois vocês pensam se me transformam em adubo ou me põe pra assar embalada em papel alúminio espetada num rolete, vocês decidem (e não estou desenterrando programa da "Grobo").

Quem já leu alguns artigos meus, sabem que eu e namorido gostamos de flores. Tanto que confessamos: exageramos na quantidade de tulipas que plantamos e agora ficaram um monte de vasos vazios esperando novas flores, o que estou vendo o quê plantar, mas sem exagero. E olha que nosso terraço não é tão espaçoso para tanta flor assim. Já plantamos amor perfeito, julian, tulipas, maria sem vergonha... Folhagens, bem, nunca tentamos, mas porque nunca encontramos alguma que pudesse dar menos trabalho.
Julian, ciclamen e algumas plantas não identificadas, no terracinho do nosso apertamento, em 2004, quando a gente ainda tinha meio que paciência pra plantar (somos assim: ou a gente planta e segue adiante, pois se é pra plantar e deixar a "seja lá o que Deus quiser", então a gente nem planta)

Só que, de três anos e tanto pra cá, no andar de baixo, mais exatamente na ponta, temos uma vizinha que com o tempo virou a maior dor de cabeça da gente. E talvez do vizinho ao lado. Se não fosse o fato da distinta senhora entupir a varanda, a entrada da casa e até o canteiro de flores, folhagens e uma pequena árvore que sei lá eu se é uma, parece mais um monte de galhos secos espetados na terra, não estaria escrevendo este texto.
As inocentes tulipas da varanda do nosso apertamento, na primavera deste ano. Abaixo, o jardim bem cuidado do prédio vizinho. Lembram do episódio do pacote de tulipas sortidas que na verdade de sortida não tinha nada? Então...

Olha, como eu disse: nós gostamos de flores, mas para deixar a ponto de uma mini floresta, seria melhor alugar uma casa com um canteirinho que ficariam todos felizes. E muito espaço pra plantar flores e quem sabe, um canteiro de tomates (parece que essa fruta está virando sucesso do momento). Mas não parece que a distinta senhora do 101 pensou (é que nunca soubemos o nome dela, portanto entre eu e o namorido a gente fala "a mulher do 101", como talvez muita gente deve referir da gente como "o casal maluco da BMW preta que mora no andar de cima").

Não estou exagerando, pessoal, até tive que fotografar para provar até pr'um funcionário da imobiliária sobre o exagero que a senhora do 101 fez. Eu sei que, cada um é dono do seu cantinho, mas se o cantinho pode trazer perigo ao vizinho, melhor prevenir do que remediar. Ou antes que seja tarde demais. O problema da senhora do 101 é que, além de manter a selva no apartamento dela, não satisfeita alugou o apartamento do prédio em frente ao nosso para entupir mais plantas e adubo e ainda por cima não cuida direito de ambos os lados, o que criou mais matagal, ervas daninhas e tudo o que imaginar.
A floresta da vizinha do 101 (andar térreo do prédio, da vista da vaga onde deixamos nosso carro). Detalhe: o terreno NAO é de concreto, é de terra batida com pedriscos para reter a água quando chove.

Antes, nem mosquito vinha em casa. Agora, nem posso deixar a janela aberta por muito tempo para arejar a casa, senão o risco de entrarem alguns bichinhos incômodos, como mosquitos, pernilongos e até aranhas é enorme. Se descuidar, bem provável aparecer uma cobra por esses lados. Pior que quando anoitece, nem pensar em abrir a janela. O que também dificilmente, quando não raro, era aparecer algum gato SRD (sem raça definida, como o pessoal diz) no local. Agora, quase toda noite, quando volto pra casa, encontro um que corre em disparada no meio do matagal. Da senhora do 101.

Além de entupir a varanda de vasos de tudo o que folhagem, no grade da varanda ela colocou mais vasos suspensos e ainda em cima da grade meia dúzia de vasos, o que pra nós virou uma dor de cabeça enorme. Explicando: a varanda dela, fica bem na direção do estacionamento, justamente onde fica a vaga do nosso carro!!! O que significa que, cedo ou tarde, um vaso poderia cair bem cima do porta malas do nosso carro, e nosso seguro nem cobre esse tipo de acidente. Alguém iria acreditar de um carro amassado por um vaso ter caído em cima?
Estou brincando? Nosso carro (que deixamos de frente, pois se deixar de ré, o perigo do vaso de cima (não o pendurado) cair no porta-malas é grande) comprado com grande custo e muita dor de cabeça. Detalhe: onde está o vaso bem ao alto, antes era um bem maior, bem mais pesado e bem mais perigoso, que foi retirado devido ao nosso vizinho japonês que foi bem mais radical que a gente e despachou o vaso pra nem sei onde. Ah, sim: ao lado a grade verde que falarei a seguir, onde a vizinha do 101 costuma tirar o pó dos futons e tapetes e deixar a poeira no nosso carro...

E olha que várias vezes fui falar com a senhora do 101 que os vasos um dia vão cair no carro e vai ser um prejuízo enorme, fora a dor de cabeça. E a dita senhora falava "uma hora eu tiro", "não tem perigo" e por aí vai. Eu é que não ia mudar de lugar sendo que estamos no apartamento e a vaga do carro há muito mais tempo que ela.

Sabe dia de tufão? Foi numa noite destas em que, no meio da madrugada, a gente acordou com o barulho do vento - e olha que a gente dificilmente acorda com algum barulho - e namorido foi correndo tirar o carro do estacionamento pois sabíamos que "aí vem m#$%@". Nossa sorte foi que, naquela época, as vagas da frente estavam vazias e até a época dos tufões passar deixamos provisoriamente na vaga da frente.

No dia seguinte, coincidentemente foi minha folga e do namorido, e fomos ver o resultado: onde estava nosso carro, um monte de vasos quebrados. Obviamente chamei a senhora do 101 e mostrei o estrago que aconteceria com o carro se namorido não tivesse tirado no meio da noite. Ela não falou nada e eu e namorido, os dois com a cara de que, se falasse alguma coisa, iriamos estourar naquela hora mesmo. Mais coincidência ainda, um dos funcionários do escritório da imobiliária onde alugamos o apertamento, apareceu e fui explicar tudo o ocorrido e mostrando "a cena do desastre". E olha que o coitado do funcionário só veio para deixar os panfletos informativos. Mas paciência também tem limite, oras!

Por um tempo, ela não manteve nenhum vaso em cima da grade, porém de uns dias pra cá, ela voltou a colocar mais vasos ainda, e será que vou ter que esperar outro tufão pra explicar tudo de novo a mesma novela???

Mais radical ainda, foi o nosso ex-vizinho de estacionamento. Dificilmente ele saía com o carro (ele possuia uma Mercedes conversível), mas no dia do tufão, ele teve que tirar a cobertura do carro e deixar na vaga da frente pelo mesmo motivo que a gente. Ele contou depois para o namorido que, naquela noite, no meio do vento e da chuva, ele pegou o vaso enorme da senhora do 101, pegou o carro e levou para bem longe. O vaso. O motivo? Risco do dito cujo também cair no carro dele, da mesma forma que o nosso.

Detalhe: nosso ex-vizinho era japonês...
Os vasos da vizinha do 101 no estacionamento onde costumamos deixar nosso carro...

Como ainda não bastasse, toda vez que namorido lavava o carro, a senhora do 101 tinha o favor de estender os futons, cobertores e tapetes na cerca que divide o terreno do nosso prédio com o do vizinho e bater para tirar a poeira. O que tem a ver? A vaga onde deixamos nosso carro fica perto desta cerca... E quando a gente ia sair, o carro todo empoeirado, pra desgosto do namorido, que perde quase duas horas para lavar e secar o carro. Quando chove, até a gente engole, mas lavar o carro e depois a senhora do 101 encher de poeira, isso ninguém merece...

Se um dia um de nossos vizinhos do andar de baixo (e de cima também) encontrar uma cobra no apertamento, a gente sabe de quem vai ser a culpa...

Vista do corredor do andar de baixo do prédio (moramos no andar de cima). Todos os vasos presentes na foto, são todos da vizinha do 101. E detalhe: no contrato que eu assinei ao mudar para este prédio, lembro-me claramente que não era permitido colocar vasos, ou qualquer objeto no corredor para evitar obstrução de passagem de moradores e visitantes, pois em caso de emergência, pode sair pior do que o incêndio ou terremoto...

7 comments:

  1. Sabe que esse negócio de plantas já deu polícia aqui onde moro?
    Eram duas filipinas que competiam pra ver qual tinha a frente e os fundos da casa com mais plantas. Pq os apart. tem terra pra plantar e dá pra fazer uma hortinha legal.
    As duas lotaram tanto de plantas! E flores, vasos, etc. Só que por causa da competição, uma jogou alguma coisa (acho q é agua sanitaria, não sei) nas plantas da outra. E pronto, a que perdeu as plantas foi bater na outra e a treta comeu solta.

    afff

    ReplyDelete
  2. Simples... vai sumindo com os vasos e os futons da véia... qualquer coisa diz pra ela que um tufão instantâneo levou embora, hwhahwah!

    ReplyDelete
  3. Olha, se a pessoa quer ter uma floresta dentro de casa, problema dela né mas acho que é preciso bom senso pra saber que o local não comporta certos exageros assim. Se quer ter uma floresta, compra uma casa com espaço né? Agora fazer dessa forma, e deixar os vasos de forma perigosa assim é complicado mesmo. Tenta conversar com ela ou chama a imobiliária já que aí resolve, ou então siga o conselho do Felipe e vá sumindo com os vasos..rsrsrs......

    ReplyDelete
  4. Alexandre, se aqui o pessoal resolvesse dar um jeito nas plantas da senhora do 101, nem teria texto. Bom, acho que teria sim, mas em outra versão. Não tenho nada contra ter plantas, até acho muito bom, especialmente se até fizer um canteiro de tomates (pior que dá mesmo). Mas o problema da vizinha é que aos fundos, ela obstruiu TOTALMENTE a passagem. Quem mora no terreo, na hora do sufoco dá pra sair pela janela (o que no nosso caso renderia quatro pernas quebradas), mas iriam se atrapalhar e muito na hora de passar pela floresta...
    Se eu fosse a vizinha que perdeu, no seu caso, eu jogaria sutilmente alguns caracóis e umas lesminhas...

    Felipe, até pensamos em sumir com alguns vasos e alguns futons, mas iria dar muito na cara: é que namorido cansou de reclamar toda vez que coincidia de ela ficar tirando o pó dos tapetes e ele chegar com o carro lavado e encerado...

    Desabafando, como disse ao Alexandre, concordo que cada um é dono do seu cantinho, mas desde que não prejudique os demais. Como nas fotos, a mulher não cuida das plantas, deixa virar mato e só falta encontrar uma cobra, pois gatos SRD, aranhas pernudas e moscas já visitaram o prédio. Além de obstruir a passagem dos dois lados da casa (ao fundo do prédio o pessoal pode sair sem problema algum no caso de emergencia), os vasos que ficam na grade da varanda um dele por pouco não caiu no nosso carro estes dias atrás porque - por sorte - eu tinha ido com o namorido na imigração buscar o visto. Dele.

    Já reclamamos várias vezes na imobiliária, mas o máximo que a mulher fez foi tirar os vasos pesados - pra colocar o menos pesados depois! Este é um caso que, cedo ou tarde, vai acabar saindo confusão, principalmente em época de taifu (tufão).

    ReplyDelete
  5. ahahahah sua vizinha, a "bruxa do 71" rs oops do 101 é sustentável, dá um crédito pra ela. Quer ver o mundo mais florido (vendo Kiyomi pular de raiva em cima de mim rs)... Já aprendi que vizinho velho, é melhor cair fora...

    Kisu!

    ReplyDelete
  6. Bah, acredita que eu lembrei da "Bruxa do 71" quando falei da "senhora do 101"? Tá, concordo que ela quer ver o mundo mais florido, que precisamos de mais verde, mas... não cuidar e pôr em risco a saúde e a segurança dos demais moradores, aí vira caso de desespero...
    Por enquanto, a gente está quieto, mas espera o dia que um vaso cair em cima do nosso carro...

    ReplyDelete
  7. Estou pensando em plantar ervas aromaticas e temperos verde em meu apartamento.
    Se puder me ajudar,agradeço
    Beijão

    ReplyDelete