Friday, January 05, 2018

Feliz Ano Novo


Quando a gente diz que o tempo passa rápido e logo já entramos num novo ano, eu fico assustada: CARAMBA. O ANO VOOU E O QUE EU ANDEI FAZENDO?!

Vou falar a verdade, eu nem percebi que o ano passou. Isso no que dá eu ficar em tanta coisa aleatória como trabalho, casa, eventos, trabalho, correria com viagem, mudança de horário, e a hora passa e quando a gente percebe, puf! Estamos em 2018. Sentiram o drama?

Nesta passagem de ano eu nem senti, por motivos de eu ter tirado férias e perdido noção do tempo (detalhes do que aconteceu durante os dois últimos meses, só depois de eu voltar de férias). Mas, fora isso, no saldo geral meu ano de 2017 eu nem posso reclamar, apesar de alguns imprevistos aqui e ali, só o fato de eu ter conseguido ir em eventos e nos shows dos meus ídolos favoritos (Macca, volta de novo no Japão e faz um megashow no Nissan Stadium que a gente não reclama *foge das tijoladas*), ter conseguido juntar uns cobres pra viajar, saí muito bem no lucro.

Espero que este ano de 2018 eu consiga realizar a outra parte do que eu deixei pendente nos anos anteriores e que produza de mais e procrastine de menos, porque meu rendimento ano passado foi uma lástima (pelo menos neste Empório). E que ainda continue com saúde pra poder seguir adiante o que preciso tentar terminar, porque sem saúde, nem tem como fazer nada.

Feliz 2018 e que tenhamos mais empatia, amor, tolerância e solidariedade.

Ilustração por @ery_21_ via twitter, lembrando que 2018 é o ano do cachorrono horóscopo chinês.



Saturday, November 18, 2017

Ailurofobia (Itadaki High Jump, 18 de Agosto de 2016)

Ailurofobia: medo excessivo de gatos. Vem do grego ailouros (gato) e phóbos (medo). Também pode ser chamado de felinofobia, gatofobia, elurofobia.

Conheço gente que morre de medo de qualquer animal, desde cães, sapos e até gatos. Mas tem gente que chega no extremo, até ter pavor mesmo ver o animal em foto.

Lembro de um personagem de um manga que eu lia, "Ranma 1/2", em que o protagonista Ranma Saotome tinha verdadeiro pavor de gatos, chegando a desmaiar só de ver.


Sunday, November 12, 2017

Papelaria



Lendo um post da Lominha sobre itens de papelaria e como a gente não resiste e acaba saindo da loja carregando uma sacola contendo mais coisas que vai usar só Deus quando. Eu pensava que eu era a única a louca das papelarias, mas depois que você descobre no Instagram gente pior que eu... (especialmente gente que posta no Instagram as obras que fazem nas agendas como o Techo Hobonochi, Moleskine e similares)

Monday, October 16, 2017

[J-Dorama] Koshoku Robotto (2017)



Juntando 3000 pontos no cartão da rede OX (Marubatsu) Foods Company, tem direito a um presente a ser entregue em sua casa, ou um vale de 3000 ienes. 

Wednesday, October 11, 2017

Feriados e Fase Workaholic



Normalmente, quando no calendário tem alguns dias aleatórios em vermelho (sem ser o domingo), entendemos que tem um feriado de comemoração de algo. Mas nem sempre o calendário do trabalho é o mesmo do calendário que estamos habituados.

Desde que eu me conheço por gente, especialmente desde que estou morando no Japão, foram raras as vezes que folguei no feriado, Golden Week, Obon Yasumi. Mas final de ano era sagrado, mesmo sendo cinco dias (tem gente que consegue dez dias, mas seria outra história).

Muitas vezes fico pensando sobre trabalhar nos feriados nacionais, muito embora ganhe uns trocos a mais, mas sobre minha saúde. Afinal, já passei dos 45 do segundo tempo.

Eu já fiz algumas vezes, aceitar trabalhar nos feriados e domingos. Não porque fui forçada, mas por livre e espontânea vontade. Mas confesso que fui trabalhar pra fugir de compromisso que não estava a fim de ir, mesmo sendo chamada de doida varrida pra baixo, se me entendem. Como depois consigo levar a semana até minha próxima folga? Tentar levar a vida mais tranquila possível, ler algum livro, assistir a um filme, dorama, que seja (estudar japonês que é bom...), até comer algo tido com saudável (estes dias aí, acabei com um pote de sorvete. Quase meio litro sozinha). E boa noite de sono.

Confesso que depois que voltei ao horário normal, minha qualidade de vida melhorou. Ao menos não acordo no meio do sono. Consigo comer melhor, assistir meus programas favoritos, fazer as coisas que eu mais gosto... Mesmo com esse tempo que ultimamente anda curto, mas a gente tenta dar um jeito. Basta eu parar de procrastinar (vide a postagem anterior).

Quem vê, pensa que eu só me concentro em trabalho, trabalho e trabalho. Quando a situação aperta, a gente tem que apelar, mas eu tento tomar cuidado com minha saúde (para não dar voadoras em algumas pessoas no meu ambiente de trabalho, porque a pior coisa é mexer numa pessoa que ficou sei lá quantos dias trabalhando direto e pode estar uma pilha de nervos). Eu tento me concentrar e muitas vezes, para esquecer os problemas internos e externos, até já fiquei lembrando episódio de Arashi no Shukudai-kun, aquele que o barco sempre afunda ao som de "Umi sono ai". Parece estranho, mas pra mim funciona.

Claro que nos meus dias de folga eu saio pra me distrair, como viajar e ir nos eventos que adoro. Embora neste mês nem deu pra ir no Comic City Spark (o evento de outono), novembro em diante eu tirarei o atraso. Até mesmo indo em shows (um já garanti, faltam dois e serão daqueles "a espera de um milagre"), cinema (em um mês fui duas vezes) e passeios aleatórios com azamiga.

Mas sei que existem pessoas que são muito mais workaholic do que eu, ao ponto de morrerem de tanto trabalhar. Nunca cheguei a esse ponto, o máximo foram duas semanas sem folga - na véspera da minha folga só meu corpo estava indo trabalhar, porque a alma...

Não me preocupo com essa minha fase workaholic porque sei que é temporário, e depois terei a merecida folga. Mas, para isso, terei que manter a cabeça no lugar e a mente despreocupada, sem me estressar, esquecer os problemas e não ligar para terceiros.

Isso se ninguém vier me torrar a paciência antes...

Foto: da autora, via celular, nada a ver com o tema. De novo.

Sunday, October 08, 2017

Quando a procrastinação é maior...



Um dos defeitos que eu possuo e por mais que eu tente criar vergonha na cara, acabo deixando pra lá, é procrastinação e das grandes. Não pareço, mas para deixar tudo pra depois, vou te falar... Talvez porque no trabalho, nem tenho como deixar pra depois, porque todo mundo quer pra ontem, mas na minha vida fora do ambiente de trabalho... uma falha total!

Tenho o péssimo costume de deixar tudo pra depois, ou fazer as coisas nos 45 do segundo tempo. Vez ou outra eu consigo fazer na hora, mas até tarefa doméstica, eu enrolo. E como. Pra ter uma idéia, tem dia que até pra lavar os pratos do jantar eu deixo pro dia seguinte. E a dita cuja aqui acaba acordando mais cedo pra deixar tudo em ordem.

Daí eu lendo uma postagem da Tathy, me deu a luz de fazer uma postagem sobre as coisas que eu preciso fazer pra ontem. Acho que um tempo atrás, eu fiz sobre procrastinar, mas pelo visto acho que não criei vergonha na cara mesmo...

1 - Atualizar o blog: Nove entre dez blogueiros que conheço, possui essa frase emoldurada na parede. Eu pertenço a esse grupo. Desde que eu mudei de emprego, a quantidade (e acho que também a qualidade) dos posts baixaram ao ponto de eu chegar a fazer uma postagem num mês todo, sendo que eu já cheguei a fazer postagem diária. Pra ter uma idéia, teve post que demorei duas semanas para postar, algo que eu demorava duas horas. O que eu já disse uma vez: enquanto estou no trabalho, surgem mil idéias, mas na hora em que sento em frente ao computador... cadê??? E todo dia a mesma coisa...

2 - Trocar o computador: isso vem desde o ano retrasado, toda vez penso em trocar o PC por um notebook e até pedi sugestão dazamiga pra compra. Chega dia do meu pagamento, o que acontece? SEMPRE tem alguma coisa que acontece e acabo empurrando com a barriga. E agora que não consigo mais entrar nos sites, inclusive pra postar, mais bem que vou ter que comprar outro. Na pior das hipóteses, mandar formatar e instalar tudo de novo. *vergonha alheia: sou formada em Processamento de Dados mas ainda morro de medo de fazer c*gada no meu próprio computador!

3 - Estudar a língua japonesa: outra coisa que tenho que fazer logo antes que eu acabe perdendo muitas chances de mudar de emprego. A maioria que eu vejo, pedem o famigerado N2 de proeficiência em língua japonesa. Perguntem para mim se eu tenho, apesar de estar quase chegando a duas décadas morando no Japão. Motivos eu tenho: horário das aulas nunca coincidem, dias também, e quando tudo está de acordo, o curso é pra principiantes, daqueles pra quem nem escrever sabe. Aí quando encontro o curso, o horário, dia e até daria pra pagar, o que acontece? Começo a ter hora extra obrigatória...

4 - Organizar meu HD: Acabei por comprar um HD externo de 1TB para caber praticamente os programas de variedades. Até aí tudo bem... se não fosse o fato de ir gravando e colocar nas pastas aleatórias, e depois quando vai querer procurar, tem que apelar pra dar três vivas pra São Longuinho. Pra não dizer que estou muito desorganizada, os programas Arashi no Shukudai-kun, VSArashi e Shiyagare ainda estão em dia, tudo separado por ano. Mas depois que comecei a gravar o programa Itadaki High JUMP, piorou - tenho um monte de episódio repetido e tenho que rever para saber qual está completo e de boa qualidade.

5 - Dieta: Depois que me mudei, e pra piorar, troquei o dia pela noite por um ano, obviamente meus hábitos alimentares foram pra cucuia, sem falar que dormia mal pra caramba e vivia cochilando em cima do microscópio. Resultado: engordei horrores e estou penando para perder peso, mesmo tendo voltado a trabalhar no horário normal e fazendo quase as refeições de sempre, inclusive diminuindo o consumo de gordura e carboidratos. E fazer ginástica que é bom... Nota mental: tentar perder os quilos ganhos até o próximo exame médico...

6 - Doramas: Assim como tem gente que começa a ler um livro e não termina, mas começa outro e assim vai, acontece quase a mesma coisa comigo, mas com doramas. Perdi a conta de quantos doramas deixei de assistir por causa do trabalho. E quando sai em DVD, ir na locadora que fica perto de casa que seria bom... E a lista só aumentando. Mesmo tendo condições para gravar o capítulo e assistir depois, acabo esquecendo e fica por isso mesmo. Pior de não assistir os doramas acumulados na listinha, é comprar o DVD-Box e encostar na estante.

Se alguém tiver alguma coisa que me dê ânimo e que eu consiga fazer pelo menos 70% desta minha lista, agradeço, porque num tá facil não!!!

Foto: da autora, que nada tem a ver com o tema.

Saturday, October 07, 2017

A Lenda dos Coelhos na Lua



Quando eu era criança, minha família costumava contar que na lua moravam dois coelhos que faziam mochi, e que dava para ver quando era lua cheia, em outubro mais ou menos. O tempo passou, e eu fiquei até então sem conhecer a história (apanha).

Daí que ontem no Doodle do Google Japan tinha a imagem dos coelhos na lua, e com direito a mochi, não deu outra e fui pesquisar.

Resumindo: a lenda dos coelhos na lua, tem muitas versões, mas talvez a mais conhecida seria de que quatro animais haviam salvado um velho - uma raposa, uma lontra, um macaco e um coelho - e ofereceram comida. Só que o coelho não tinha o que oferecer comida e se sacrificou, assim sua carne serviria para saciar a fome do velho. Mas na verdade, o velho era uma divindade, e, comovido pelo ato do coelho, desenhou a imagem do animal na lua.

Dizem que na primeira semana de outubro, em dia de lua cheia, daria para ver a imagem que lembra um coelho, e na Asia,  é comum fazer o tsukimi ou "ver a lua".

O que eu lembro sobre coelhos na lua fazendo mochi, seria em Sailor Moon, cuja protagonista, Usagi Tsukino (no Brasil, virou Serena), se traduzir ao pé da letra, significa "coelho da lua".

Seja como for, admirar a lua em dia de lua cheia, seria uma das formas da gente esquecer o quanto a vida anda difícil e pensar em coisas boas.


Ilustrações: @yama_nn0509y via twitter.

Sunday, September 24, 2017

Instagrando por aí... *aleatório*


Faz um tempinho que não posto nada de fotos interessantes que mereçam uns likes para ser popular, mas a gente faz o que pode, ainda mais que meu smartphone tá servindo mais como câmera do que realmente tem que fazer...


Ultimamente, Kisarazu não sai da minha vida pra tudo, ainda mais que parte de meus colegas de trabalho mudaram pra Aichi, mas todo dia tem que botar Kisarazu na rodinha de conversa. Pra quem não sabe, em frente à estação, tem três estátuas de texugos, animal símbolo da cidade. Aliás, se percorrer a Fujimidoori e o bairro de Mimachidoori, vai achar um monte.

O motivo também de estarem com o happa, era que, no dia que fui, logo teria o famoso Yassai Moussai, uma das maiores festas que a cidade tem. Quem assistiu o filme Kisarazu Cats Eye, vai entender.


Engraçado que, quando ainda morava em Chiba, nunca conseguia ir onde fica o Sky Tree. Resumo da ópera: só depois que mudei-me pra longe é que consegui. Pra vocês verem que, quanto mais longe você morar, vai acabar indo no lugar. Mas não fui até o topo por motivos de tempo (no dois sentidos da palavra).


Aproveitando o passeio para admirar os girassóis que estavam lindos e vistosos para conseguirmos uma foto que tenha a torre ao fundo.


Aproveitando também que o dia que conseguimos reunir quatro pessoas bacanas que a gente só conversava nas redes sociais, fomos todas para o Noritake Koen, conhecido por sua fonte e porcelanas. Pra quem quiser sair da correria, dá uma passada que vale a pena.

Só preciso encontrar a foto que fizemos em homenagem a série " Friends"...



Quem me conhece, sabe que não vivo sem café. Agora que estou no meu horário normal, aproveitando pra ir na cafeteria da firma e tomar café passado na hora. E como tenho tempo livre, dou uma lidinha nos meus mangás, como a série "Koshoku Robotto", que virou um dorama na temporada de verão. Sim, vai ter resenha.


Eu não sabia, mas em alguns lugares de grande movimento, o café da sereia... Ops, Starbucks, tem um cantinho pra tirar foto do seu café com direito a plaquinha indicativa pra postar no Instagram. Acho que este do Nagashima Ela Land, esqueci de postar...


Mas o de Haneda, não. Chai Tea Latte continua sendo o meu favorito, porque nesta temporada, Frappuccino de gelatina de uva ou de houji chá, pra mim não dá (é que esse chá eu gosto dele quente).



Esses dois prédios muita gente cansou de ver: a torre onde fica a central da operadora DoCoMo em Yoyogi, e o Coccon onde fica a escola de arte Tokyo Mode, em Shinjuku. Mas não tem como não passarem batido nisso tudo...


Não tem o que fazer e fica rabiscando. Não resisti e rabisquei um dos personagens de " Koshoku Robotto", que na versão live action ganhou o nome de Mujaki. Um dos personagens que se tornou o mais popular no Twitter, se bem que no mangá, ele é o que mais aparece.


Marcador de livro de tecido para sua finalidade mencionada. Comprei na livraria perto de casa, feito à mão. Afinal, a gente valoriza o trabalho artístico. Por sinal, ver se este ano consigo ir no Design Festa, um dos melhores que tem aqui.


Dia 13 de setembro, finalmente depois de dois anos sem lançar material inédito, o número dois da autora aqui ( é que o número um continua sendo o Paul) lançou o novo singles, " Seikei", que foi tema de novela. Depois tem gente que reclama que seu ídolo demora dois meses pra lançar algo, bota pra vender duas ou três edições diferentes e tals, mas fã do Masaharu também sofre, especialmente quem faz parte do FC, porque ele solta QUATRO numa paulada só, e todos com DVD diferente, como o PV da música, algumas partes dos shows anteriores...

( Inotere e Daikingu não vêm com os CDs, são pra ilustrar a foto)

Fotos: todas da autora, tudo pelo smartphone velho mas que funciona bem. Não, não tenho iPhone.

Tuesday, September 12, 2017

Fazendo o bem



Uma das coisas que eu costumava fazer quando eu estava em Kisarazu, era quase toda segunda-feira comprar pães e doces caseiros, feitos por alunos de uma entidade que cuida de pessoas especiais. E eram muito gostosos.

Depois, quando mudei-me para Inazawa, fiquei restrita somente quando tinha evento em algum lugar, por causa do horário (nota mental: trabalho noturno realmente não funciona para mim e olha que já era a TERCEIRA vez que eu tentava). Agora que voltei ao "horário de gente", descobri que em alguns dias marcados na cafeteria, tem a venda de pães e doces caseiros no horário de almoço.

Se bem que isso eu fazia desde os tempos que eu estava no Brasil - minha mãe até hoje é voluntária de uma entidade e toda semana eu comprava doces caseiros de lá para ajudar o local e também porque formiga que eu sou, a maioria das vezes era pão de mel.


Pelo que percebi, geralmente toda sexta-feira, tem uma entidade que vende biscoitos e pães. Passei a comprar deles por causa da variedade de biscoitos - além dos tradicionais de chocolate e baunilha, eles fazem de matcha, amendoas, flaxseed (aqui chamam de amami) e de alecrim!!! Fora os pães, mas pelo horário que eu vou almoçar, só restam os biscoitos (porque eu não sou muito chegada em curry pan). E como estou ficando até oito e meia da noite no trabalho, no intervalo das seis da tarde, os biscoitos me salvam. Eu sei que não seria uma boa alternativa, ficar comendo doces, mas até eu chegar em casa, meu estômago se encarregará de fazer eu passar vergonha nas três horas extras.

O que eu quero dizer em termos: não precisa esperar eventos gigantes para poder contribuir com alguma coisa - o simples fato de deixar um dinheiro na caixa de coleta, comprar algo feito artesanalmente, ajudar os outros em qualquer ocasião, já faz uma boa ação do dia.

Fotos: da autora mesmo.


Thursday, September 07, 2017

Blog Day e os Blogs que leio

Eu sei que deveria ter postado isso no dia 31 de Agosto, dia que marca o Blog Day (a data foi escolhida simbolicamente porque a data 3108 graficamente lembra a palavra blog)...

Logo by angellica.com

Para essa data, muitos costumam recomendar uma lista de blogs que cada um faz de acordo com preferência, utilidade, afinidades, enfim...

Costumo acessar alguns que eu para mim são interessantes e de utilidade geral. Quando não muito pra distrair mesmo. Alguns descobri através de amigos em comum que foram indicando outros blogs. Ué, blog também serve para descobrir coisas novas... E através dessas dicas de blogs de amigos, acabei descobrindo o site Bloglovin, onde posso favoritar os preferidos.

Lembrando que não está na ordem de preferência.

Ajuste a Rota: (http://www.ajustearota.com/) Postagens frequentes sobre viagens, intercâmbio, gastronomia e beleza, por Amanda Maru e Silvia, os veteranos conheciam o blog com o nome de "Clube do Necessaire". Como as duas autoras resolveram mudar um pouco o conteúdo, ainda mais que depois que elas fizeram alguns intercâmbios no Exterior, acharam melhor mudar o nome, mas as postagens continuam recheados de muita informação, especialmente sobre como estudar no exterior com um bom planejamento, dá para aproveitar o curso e passear sem ficar no aperto financeiro. Além do blog, dá pra acompanhar as dicas no Instagram e nos vídeos que elas postam no FB. Uns seis anos atrás, participei de um sorteio e ganhei. Sem falar que foi através dessas postagens que - acho que finalmente - acertei no tratamento de pele.

Tathy no Me: (https://hitominonaka.blogspot.jp/) Eu acho que foi no Twitter que conheci a Tathy por um motivo em comum: gostar de um mesmo grupo de j-pop. Conversa vai, conversa vem, até achei que fosse uma parente distante minha por causa do sobrenome (minha avó materna era Takahashi). Apesar do seu blog não ser atualização constante, vale a visita por motivos de: moda e dicas culturais em Sampa. Além disso, ela é uma das administradoras da page no FB, J-Storm Station.

Subindo no Lustre: (http://www.subindonolustre.com/) Miyuki, aka Karupin, era conhecida antiga dos tempos do fórum do fandom. Ela quase não frequentava, mas depois que saí, juro que não lembro como a Karupin ainda não se esqueceu de mim! O Subindo no Lustre é o nome novo do antigo que ela possuia no LJ, o Linea Rossa. Os menos avisados podem estranhar e se assustar sobre ela postar sobre BLCD (Boys Love), mas ela não fica só nisso - ela põe reflexões da vida, gastronomia de Curitiba, dicas de onde, como e porque ela adquiriu as compras do mês... Nas horas vagas, ela é também administradora da page J-Storm Station.

Sernaiotto: (http://sernaiotto.com/) Paloma Sernaiotto (Lominha pros chegados), mesmo morando na Coréia, ainda posta sobre conteúdo digital, dicas de como aprimorar as redes sociais, suculentas e um pouco da vida na terra do kimchi. Foi através da Gesiane que descobri o blog da Lominha. Além de acompanhar no blog, no Twitter, tem o Instagram. De vez em quando (quando mesmo, porque eu esqueço), eu tento fazer o #thefabulousproject, que seria postar uma foto conforme o tema do dia. Perguntem se eu lembro... Apesar que de avião a viagem Narita - Seoul pode levar quatro horas, ainda não consegui ter tempo (nos dois sentidos da palavra) para conhecer pessoalmente.

Peach no Japão: (http://peachnojapao.com/) Foi através do casal Tabeteimasu que achei o blog da Piti Koshimura, que comenta sobre o Japão, mas fora do tradicional de alguns blogs de gente que costuma passear no Exterior e fica no óbvio. Falando no casal Tabeteimasu, eles colaboram ocasionalmente no blog, no tópico gastronômico (meio que ressuscitando o antigo blog que eles possuíam).

Um dos blogs que eu sinto a maior falta desde 2008 ou 2009, não me lembro mais, era o "Garotas que dizem Ni", que era escrito por três jornalistas e tinham muita coisa em comum, desde causos de subúrbio até resgatando preciosidades dos anos 80 e 90. Mas quem puder ler o livro "E' Impossível Ler Um Só", tem uma boa amostra do que era o blog.                






Sunday, September 03, 2017

Hit Parade Particular do Empório ~ Mr.Children



Faz um tempão que não posto o que ando ouvindo. O que não seria novidade, porque quem olhar meu iPod, aquela ironia - tenho 180 músicas mas só ouve 10 trocentas vezes.

O que me salvam de ficar atualizada no mundo musical (especialmente j-pop) são minhas idas semanais na Tower Records de Nagoya (ainda bem que moro a 10 minutos de trem da capital!) e as dicas do aplicativo da DoCoMo, o dhits (apesar de pagar mensalidade, dá pra arquivar muita coisa).

O lado ruim do dhits é que nem todos os artistas autorizaram a disponibilizar as músicas, mas como a gente tem esperança, a gente tenta de outras formas atualizar os aplicativos musicais, como alugar/emprestar/ comprar o CD e botar no iTunes ou onde quiser ouvir. Tem o Sportify também, mas este não me chamou tanta a atenção... por enquanto.

Uma das bandas que até então não tinha nada no dhits era Mr.Children, uma das minhas favoritas. Não sei se é porque a banda este ano comemora 25 anos de debut ou porque uma de suas músicas voltou a ser tema de encerramento de dorama nesta temporada (a série "Code Blue"), mas finalmente a dhits disponibilizou boa parte da coletânea "Thanksgiving 25" (que só é possível ser adquirida via download nos sites autorizados, como iTunes, Rekochiku, mora e d-music). Obviamente, eu já coloquei todas possíveis no arquivo hahaha.

A banda Mr.Children começou em 1992 como college band, com temas de amor, vida, política, tecnologia, e sem deixar cair a peteca. E tudo isso combinando com a voz de Kazutoshi Sakurai, a banda continua na ativa, vai bem, obrigado (embora a banda deixou os fãs preocupados duas ocasiões - em 1997 quando resolveram dar um tempo como banda e partiram para trabalhos pessoais e em 2002 quando Sakurai foi internado para retirada de um coágulo). Recentemente, na tour conseguiram lotar o Nissan Stadium em dois dias - 140 mil pessoas!!! A banda não está nem aí se ficam no top da Oricon, ou se fazem shows em lugares menores, o importante para eles é transmitir mensagens através da música. E conseguem.

Minha relação com a banda, foi quando cheguei aqui em 1998 e a banda havia acabado de voltar do hiato de um ano e tanto. As vantagens de ter morado num lugar bem interiorzão - aprendi muito a língua japonesa e vivia frequentando lojas de CDs toda semana. Foi com o namorido que ouvia mais ainda.

Se for pra recomendar álbum, eu sou a pior pessoa pra isso. Mais fácil ouvir as coletâneas, porque além de ter as mais conhecidas, dá pra quebrar o galho pra quem está começando. O duro quando depois resolve ir atrás dos álbuns... (experiência própria).

Fastner (2002): Do álbum "IT'S A WONDERFUL WORLD", a música tem uma conotação sexual bem camuflada, mas a letra é triste de doer - é o protagonista descobrir que a pessoa que ama não é a mesma quando mostra o outro lado. Embora mencione Ultraman e Kamen Rider, a letra seria uma metáfora de que somos outras pessoas por baixo das vestimentas. A música foi usada para uma série de filmes independentes - o JAM FILMS -, na curta "Fastner". Trechos do filme foram usadas na turnê de 2002 (quando a banda cancelou na época do lançamento do álbum devido a internação de Sakurai), e ANOS depois eu soube quem foi o protagonista desse filme...

Hana ~ Memento Mori ~ (1996): Confesso que foi o primeiro single da banda que comprei por recomendação do namorido. E olha que foi difícil achar, porque era em formato de 8", aqueles pequenos (que precisei de adaptador pra ouvir no carro). "Memento Mori", em latim, significa "um dia iremos morrer". A música já fala sobre vida que segue diante dos olhos do narrador e mesmo diante dos infortúnios que sofre, ele vai continuar seguindo em frente. O single ficou duas semanas em primeiro lugar, e é uma das músicas mais lembradas em ranking de programas como Music Station e CountDown TV. Quando foi relançado como B-side do single "Yasashii Uta", excluiram o subtítulo para que não relacionasse a música com morte.

See-Saw Game ~ Yuukan na Koi no Uta ~ (1995). Primeira vez que uma música da banda que não foi usada em algum comercial ou tema de dorama. O promotion video é uma paródia do PV do músico britânico Elvis Costello. A letra compara a situação amorosa como se fosse uma gangorra. Como o single foi lançado alguns meses depois do Grande Terremoto de Hanshin-Awaji, boa parte da renda foi revertida para a reconstrução. (Momento de cultura inútil: em vários programas, Kazunari Ninomiya sempre dizia que o primeiro single que comprou foi este do Mr.Children.)

Tomorrow Never Knows (1994). Errou quem pensou que fosse cover de uma das músicas mais difíceis de se entender dos Beatles. Mas o título original seria "Ashita e no Kakehashi". Acabou sendo o título que conhecemos. Sakurai compôs a música durante uma turnê em Nagoya. "Tomorrow Never Knows" é o oitavo single mais vendido na história, e foi usada como tema do dorama "Wakamono no Subete".

youthful days (2001). Uma que ouvi por causa do dorama "Antique" (que tinha no elenco Hideaki Takizawa, Hiroshi Abe, Naohito Fujiki, Koyuki e Kippei Shiina), e era música de encerramento. A letra é como o título - sobre as alegrias e tristezas da juventude, com uma metáfora de sexo, de forma bem subliminar.

Any (2002). Foi na campanha promocional dos 10 anos da empresa NTT Docomo, e coincidiu com os 10 anos da banda. Acho que foi por isso que eu associo essa música com a empresa, só pode. A letra é sobre as frustações de uma pessoa e que para ele tanto faz mudar ou não, que ele vai continuar lutando por isso.

Hanabi (2008). Muita gente conhece por causa do dorama "Code Blue", e neste ano de 2017 fizeram a terceira temporada! Obviamente, nas três temporadas a música foi usada como encerramento. A música é sobre enfrentar as dificuldades ao lado da pessoa que tanto amava mas por algum motivo teve que partir.

Nota da autora: Não postei video por motivos que depois por motivos de direitos autorais eles tiram do ar e acabo ficando com cara de paisagem. Então, se quiserem saber mais, basta procurar no gugol ou no iuchubi ou qualquer site de streaming, aí depois é só alegria...

Imagens: tudo via google em vários sites.

Saturday, August 05, 2017

Sobre blogs, postagens e afins



Entramos em agosto e este Empório só não fechou as portas porque é um dos poucos meios de comunicação que eu mantenho e vou tentar fazer de tudo para continuar, nem que seja duas postagens por mês (mas que sejam postagens bem feitas né, porque se é pra fazer, que seja bem feito).

Um dos motivos de eu ter diminuido (e muito) o meu ritmo de postagens - voltando do trabalho muito exausta demais, mudança de cidade e de turno e, o mais grave de tudo, a criatividade e ânimo em postar alguma coisa. Pra dizer a verdade, muitas vezes enquanto estou trabalhando, surgem mil idéias pra postar, e quando chego em casa, depois que faço o que eu tenho que fazer, cadê as idéias??? Mas quando encontro a luz no fim do túnel, demoro dias pra postar, algo que dificilmente me acontecia - podia ser madrugada e ter que trabalhar assim que amanhecesse, eu estava diante do PC, postando. Agora, perguntem-me se eu consigo fazer isso hoje em dia (se eu fizer o que eu fazia antes, podem ter certeza que eu estaria "pescando" na frente do microscópio).

Admito que parte da culpa é minha - sou péssima pra organizar as coisas, e quando consigo, levo meses pra colocar tudo em ordem. Prova disso, se virem minhas estantes onde tento colocar meus livros, revistas, CDs e DVDs, eu só consigo encontrar o que eu quero porque fui eu quem tentou organizar. Por isso que odeio mudança.

Voltando sobre o assunto: eu acompanho alguns blogs, mas comentar que seria bom, nada. E olha que dependendo do que for, eu comento. Mas nem isso estou conseguindo! Agora, vai imaginando postando... E' mais fácil o pessoal me acompanhar no Twitter e no Instagram do que aqui,

Falando em Twitter, é uma das poucas redes sociais que eu mais participo ativamente (FB eu não tenho tanta paciência pra isso), afinal foi através do Twitter que consegui colocar muita gente a par do que aconteceu no dia 11 de março de 2011. E através disso, conheci muita gente legal. E não desmerecendo o Empório, que foi através de blog que conheci muita gente virtual, pessoalmente. Mesmo demorando bons anos, mas valeu a pena.

Ultimamente ando meio chateada com o conteúdo no Twitter. Ou é porque sigo algumas poucas pessoas erradas mesmo (a opção mais certa). Todo dia (melhor dizendo: toda noite, porque é a única hora que entro depois que mudei de turno) eu entro para ver o que tem de bom, alguma novidade dazamiga e o que encontro? Gente reclamando de tudo e de todos. Bem feito pra mim que aceitou gente fanática que não admite falar mal de seu ídolo (ok, já passei por isso, mas já superei muito, agora só ignoro), se mete em briga de foice entre fandoms e critica violentamente onde mora. E' o fim da picada gente que segue o famoso ditado "mente vazia, oficina do diabo"...

Daí tem gente que critica o FB e o Instagram por postarmos coisas lindas e fofas. Olha, no FB já vi coisa pior que no Twitter, mas obviamente no Instagram a gente compartilha coisas lindas e fofas, porque ninguém em sã consciência vai ficar postando desgraça no Instagram (no máximo a gente posta o dedo com band-aid, perna engessada com assinatura e termômetro), porque de desgraça já basta a vida real e vamos ter um pouco mais de alegria nessa vida minha gente!


Wednesday, July 26, 2017

47



Antes de mais nada, agradecendo todos que enviaram mensagens de aniversário nas SNS (Social Network Services) como Instagram, FB, Twitter, etc., responderei aos poucos, porque além de ter trabalhado no meu dia, estou saindo meio tarde e até terminar meus afazeres, fica a hora de dormir. Mas aos poucos estou me ajustando ao "horário de gente normal", acho que até semana que vem conseguirei.

Entrar na versão 4.7 altera alguma coisa? Mais um ano que se completa? Sim e é mais um ciclo que fecha e outro que inicia, porque estou entrando numa fase em que eu preciso repensar no que fazer daqui para frente, tanto no trabalho, como financeiramente. Motivo: aos poucos a idade vai chegando, e as chances de conseguir algo melhor ficam mais distantes. E não estou brincando.

Outra coisa que eu preciso diminuir aos poucos, é procrastinação (aka preguiça), porque planejo muito, mas na hora da prática, acabo deixando de lado e quem disse que volto a fazer depois??

Existem coisas que estou conseguindo aos poucos, o que eu não posso perder a autoestima, esperança e a força de vontade. Sem isso, minha saúde (tanto física como mental) vai por água abaixo e aí meus planos vão junto. Se me perguntarem de onde arranjo tanta energia para encarar uma madrugada dentro de um ônibus, ir em shows e eventos, e ainda ter tempo para fazer as coisas que tenho que fazer (cuidar da casa), nem eu saberia responder. Isso porque tem coisas que eu ainda deixo pra fazer depois.

O importante, pelo menos para mim, é manter a mente sã - procurar não me preocupar com coisas banais, esquecer um pouco os problemas do cotidiano e pensar em coisas boas e alegres, nem que seja cantarolar mentalmente alguma música legal.

Não é porque cheguei aos 47 é que vou me acomodar e esquecer de viver, porque a vida é curta e nunca saberemos o que o futuro nos espera.




As vantagens de ser membro de fã clube de seu artista favorito, é que em datas especiais, como aniversário por exemplo, você recebe mensagem de parabéns. Ok, eu sei que para todo mundo que faz parte a mensagem é a mesma, mas deixe a gente ter um momento de alegria, certo? (Ao menos eles lembram, é o que importa).

Fotos: todas da autora, via Instagram.

Thursday, July 20, 2017

Cine Pipoca de Maio



Reconheço que ultimamente estou indo muito ao cinema, e até a primeira metade deste ano já fui cinco vezes. Comparando com os anos anteriores, que teve época que nem passava perto... O que me fazem ir ao cinema são os fatores enredo que me prende e elenco que vale a pena. Se fosse assim, estaria indo todo dia, porque, querendo ou não tem muito filme interessante, mesmo os japoneses (que muita gente por aí diz que não assiste porque não faz sentido, mas gosto nunca se discutiu, então cada um se diverte como quiser).

Mas também já assisti cada filme que nem deu vontade de rever quando saiu em DVD. Dependendo do filme, confesso, chego a comprar o DVD para rever quando der na telha (ultimamente está sendo quando der mesmo), e olha que este ano tem filme que vai valer a pena o ingresso e a pipoca.




Peach Girl (2017): Direção de Koji Shintoku. Baseado no mangá de Miwa Ueda (Kadokawa). Com Mizuki Yamamoto, Kei Inoo, Mackenyu, Mei Nagano, Yuika Motokariya, Kensei Minami, Takeshi Masu.

Resumo: Momo Adachi (Mizuki Yamamoto) é uma estudante do colegial que devido a sua pele extremamente bronzeada e cabelo descolorido (por fazer parte do clube de natação desde o ginasial, queima-se muito fácil e o cloro danificou seus cabelos), é erroneamente chamada de "garota fácil que dá em cima de todos os caras do colégio", mas na verdade é muito tímida mas esquentada. E' apaixonada pelo colega de classe Kazuya "Toji" Tojigamori (Mackenyu), mas não tem coragem de declarar seus sentimentos por ele. Mas devido a um rumor (que tinha um pouco de verdade) de que tinha beijado o rapaz mais popular da escola, Kairi Okayasu (Kei Inoo), Momo tem que enfrentar as colegas ciumentas, além de descobrir que sua melhor amiga Sae Kashiwagi (Mei Nagano) também estava apaixonada por Toji. Por fim, Momo descobre que Kairi realmente gostava dela e queria fazê-la feliz.

Observações: Pra quem procura um filme leve pra distrair, pode assistir sem problemas (desconsidere o fato da idade dos dois atores principais que até faculdade já tinham concluído faz tempo e que a Momo deveria ser um pouco mais sexy), porque talvez esse seja o propósito do filme: um enredo até batido demais (triângulo amoroso entre colegiais), mas traz humor (a cena do love hotel onde Kairi aparece disfarçado de Sae é impagável) e cenas fofas (Kairi e Momo em Enoshima). E a música ajuda - a conhecidíssima de Carly Rae Jaspen "Call Me Maybe", música da YUKI - "Dramatic" (foi tema de abertura do anime "Hachimitsu and Clover") e a música do trio Ikimonogakari, "Kimi ga iru" (essa música já foi utilizada no dorama "Hotaru no Hikari 2").

-*-*-*-*-*-*-


Guardiões da Galáxia 2 (2017). Direção James Gunn. Baseado nos quadrinhos "Guardians of the Galaxy" (Marvel Comics). Com Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel, Bradley Cooper, Michael Rooker, Karen Gilliam, Pom Klementieff, Elizabeth Debicki, Chris Sullivan, Sean Gunn, Sylvester Stallone, Kurt Russell.

Resumo: Peter Quill (Pratt), Gamora (Saldana), Drax (Bautista), Groot (voz de Vin Diesel) e Rocket (Cooper) tinham sido recrutados para serem os Guardiões da Galáxia. Após terem sua nave destruída por drones enviados por Ayesha, a líder da raça Sovereign (Debicki), Quill, Gamora e Drax acompanham a pessoa que os salvou dos drones, Ego (Russell), que diz ser pai de Peter. Enquanto isso, Rocket e Groot tentam consertar a nave e vigiar a meia-irmã de Gamora, Nebula (Gilliam). Peter acaba descobrindo a real intenção de seu pai e tenta eliminá-lo, nem que custe a vida da pessoa que realmente o criou, Yondu (Rooker).

Observações: O ideal seria assistir o primeiro filme para poder entender como o grupo foi recrutado, mas dá pra assistir o segundo sem problemas. O ponto forte do enredo é o humor - começa que o grupo é formado por um meio humano meio celestial, uma alienígena verde, um grandalhão impulsivo, um guaximim humano e um toco de árvore que só fala uma frase (não tem nem como levar a sério); como logo no começo, enquanto tentam destruir um alienígena, Groot fica tentando acompanhar a música; a discussão de quem vai disparar os mísseis enquanto tentam escapar dos drones; até Pac-Man entra nessa história.. Destoa (muito) dos filmes tradicionais da Marvel. Além da trilha sonora recheada com hits dos anos 70, aconselhamos a ficar até terminar os créditos, porque dá pistas de que vem um terceiro filme por aí.

-*-*-*-*-*-*-


Kodomo Tsukai (2017). Direção: Takashi Shimizu. Roteiro de Takashi Shimizu e Burajiri An Yamada. Com Hideaki Takizawa, Daiki Arioka, Mugi Kadowaki, Naomi Nishida, Hiroyuki Onoue, Ken Yoshizawa, Haruto Nakano.

Resumo: Um jornalista local, Shunya Ezaki (Arioka) tenta investigar o caso de pessoas que morreram de forma misteriosa. Ao conversar com Yuri Nakagawa (Momoko Tanabe), fica conhecendo a lenda urbana de "Tommy", ou "Kodomo Tsukai" (Takizawa), que seria uma entidade que cuida de crianças que sofrem maus-tratos dos adultos. Quando a criança retorna, três dias depois o adulto é encontrado morto. Dizem que, se o adulto que cometeu maus-tratos ouve a criança cantarolar uma música, o "Kodomo otsukai", acaba morrendo em três dias. Nesse mesmo tempo, a namorada de Ezaki, Naomi Harada (Kadowaki) prometeu cuidar de um de seus alunos, Ren (Nakano), quando misteriosamente a mãe não comparece à escola para buscá-lo. Quando descobre que a mãe faleceu, Naomi se vê obrigada a entregar Ren para o Conselho Tutelar, quebrando a promessa feita. Shunya e Naomi acabam por descobrir a verdade sobre a lenda urbana de "Tommy" e precisam correr contra o tempo, pois Naomi tem apenas três dias de vida, quando Ren aparece cantarolando a música.

Observações: Avisando pra quem é fã de Takizawa e Arioka mas não suporta filme de horror: o filme dá aquele nó na garganta e aqueles momentos que você fica tenso. O diretor Takashi Shimizu é mundialmente conhecido por seus filmes do gênero, tanto que um dos mais famosos foi a série"Ju-on", que teve remake norte-americano (no Brasil, ficou conhecido como "O Grito"). Embora as filmagens tenham sido realizadas no ano passado, a idéia tinha sido concebida em 2015 (um dos motivos das filmagens somente terem sido concretizadas no ano seguinte, era a agenda de Takizawa, pois estava com dorama e teatro em andamento). A história lembra em partes, o conto do "O Flautista de Hamelin". E, bem, Tackey está irreconhecível devido ao personagem, e até que enfim deram um papel de adulto para Arioka, porque até então vivem dando papel pra ele interpretar personagens de estudante de ginasial, sendo que ele tá com 26 anos, mas nem a altura ajuda *apanha*

Fotos: tumblr (a que abre o post) e Google